Nessa lista, venho trazer cinco doramas que retratam transtornos psicológicos distintos entre si. Todos os protagonistas dessas histórias sofrem de algum transtorno e no decorrer do dorama, vão aprendendo a lidar com as dificuldades e a se relacionar com as pessoas em sua volta.

Essas abordagens são muito importantes para inclusão e conhecimento do outro, além de nos emocionarem e nos fazerem refletir sobre diversas questões.

 

 

Heart to Heart

Sinopse: Cha Hong Do sofre de fobia social e fica extremamente corada com muita facilidade. Ela tem um forte senso de curiosidade e aprende lendo livros e navegando na internet. Um dia, sua avó, o único contato com o mundo exterior que ela tinha, morre. Então, Cha Hong Do começa a trabalhar como doméstica disfarçando-se de idosa. Através de um incidente, ela encontra o psiquiatra Ko Yi Seok.

 

‘Heart to Heart’ é doce, divertido e dramático ao mesmo tempo. O desenvolvimento dos personagens é algo maravilhoso de se ver, pois ele não se prende só a Cha Hong Do. O dorama acaba mostrando também que ela não é A diferente, porque todos temos (mesmo que seja numa porção menor) ansiedades, medos e manias, que podem prejudicar nosso dia a dia e nem percebemos.

Gosto principalmente do casal Hong Do e Yi Seok, pois é visível o quanto eles se ajudam mutuamente. Amava as coisas que Yi Seok fazia para fazê-la ultrapassar as barreiras e que a deixava com um misto de vergonha e raiva.

Em outros doramas em que a Choi Kang Hee, atriz que interpreta a protagonista, participa, admito que tinha alguns problemas com a atuação dela (assim como muitos outros dorameiros), mas nesse dorama ela simplesmente se encaixou, conseguindo mostrar toda a estranheza, dificuldade e incômodo que a protagonista passa.

 

 

Kill Me, Heal Me

Sinopse: Após uma experiência traumática na infância, Cha Do Hyeon, um bilionário de terceira geração, sofre de lapsos de memória e sua personalidade fica dividida em sete diferentes identidades. Querendo recuperar o controle sobre a sua vida, ele pede Oh Ri Jin, uma residente de Psiquiatria do primeiro ano, para tentar ajudá-lo em segredo, mas ela eventualmente fica apaixonada por uma de suas personalidades. Enquanto isso, o irmão gêmeo de Oh Ri Jin, Oh Ri On, um famoso romancista de livros de mistério pensa em escrever sobre Do Hyeon e sua família.

 

Meu pai do céu [respira]. O que dizer desse dorama? ‘Kill Me, Heal Me’ sempre será um dos meus doramas favoritos, tanto pela história, quanto pela profundidade de cada personagem (e de cada personalidade).

O roteiro é simplesmente maravilhoso, com reviravoltas e conflitos bem construídos. Também consegue ter suas doses de humor sem prejudicar seus momentos dramáticos. Recomendo muito esse dorama para quem só assistiu doramas de humor, mas que quer começar a ver alguns mais melodramáticos, pois ‘Kill Me, Heal Me’ sabe muito bem mesclar os dois.

Queria ressaltar a incrível atuação do Ji Sung (ator que interpreta o protagonista). Todas as sete personalidades eram tão singulares, mas sendo todas de uma única pessoa, isso poderia gerar uma confusão, se Ji Sung não soubesse passar com o olhar e os trejeitos essa singularidade (não é exagero, gente, ele realmente arrasou).

 

 

It’s Okay, That’s Love

Sinopse: Jang Jae Yeol é um escritor de mistérios famoso e DJ de uma rádio popular com uma personalidade afiada. Quando conhece a psiquiatra Ji Hae Soo, [quando] enquanto estavam participando de um talkshow que tinha como abordagem da noite ‘mentes criminosas’, os dois logo não se dão bem. Mas quando a namorada de Jae Yeol plagia seu trabalho, forçando-o deixar a tempestade da mídia passar para que ele possa provar sua inocência, ele inesperadamente vira o colega de quarto de Hae Soo. Jae Yeol mora em uma casa que é compartilhada por outras pessoas, como Jo Dong Min, outro psiquiatra e colega de trabalho de Hae Soo, e Park Soo Kwang, um jovem com Síndrome de Tourette. Com a convivência, Jae Yeol e Hae Soo vão conhecendo melhor um do outro e ajudando a curar suas profundas cicatrizes emocionais.

 

‘It’s Okay, That’s Love’ é um dos doramas mais conhecidos que tratam de transtornos psicológicos. A trama é tão maravilhosa que em certos momentos você acaba envolto nas alucinações dos personagens.

O romance é muito lindo e você percebe o quanto Jae Yeol e Hae Soo vão amadurecendo, mudando e enfrentando as dificuldades ao passar do tempo que ficam juntos.

Todos os personagens têm seu espaço e desenvolvimento bem divididos. Um dos que mais me marcou foi o Park Soo Kwang, com Síndrome de Tourette, que é um distúrbio do sistema nervoso que envolve movimentos repetitivos ou sons indesejados, pois, vemos o quanto ele, no começo, se impede de muitas coisas, por causa dessa síndrome, e vai percebendo que há vida além dessas dificuldades e que ele pode fazer mais do que imagina.

 

 

Flowers for Algernon (Algernon ni Hanataba wo)

Sinopse: Shiratori Sakuto tem 28 anos, mas tem a inteligência de um menino de 6 anos de idade. Ele trabalha para o Dream Flower Service, um centro de distribuição de flores que fornece o emprego para jovens que se encontram em situações de risco. Um dia, ele e um colega, Yanagawa Ryuichi, entregam um buquê de rosas para o prédio onde Mochizuki Haruka mora. Por Haruka não saber que o entregador é deficiente mental, ela fica chocada com uma fala dele e tenta chamar a polícia. Por coincidência, Haruka trabalha para um centro de pesquisa de fisiologia do cérebro, onde o professor Hachisuka estuda a melhoria do desempenho mental. Ele teve êxito em experiências de laboratório com um rato branco chamado Algernon. Após alguns incidentes, Sakuto é transformado em um gênio através de cirurgia.

 

A palavra que define para mim esse dorama japonês é reflexão. Reflexão sobre a inocência, a mente humana, o preconceito e vários outros assuntos.

O foco desse dorama é a jornada do Sakuto, um homem inocente e sonhador, assim como uma criança. Por causa da sua deficiência, ele acaba envolvido em muitas confusões, que ele tem noção, após acontecerem, de que se dão por causa de sua condição. Era de partir o coração vê-lo ficar triste por algo que ele não conseguia controlar. Não há como não se apaixonar por esse adulto-criança.

Queria ressaltar a atuação do Yamashita Tomohisa, ator que faz o protagonista, por conseguir passar para o Sakuto um ar de inocência sem parecer apenas um adulto fingindo ser bobo, as vezes parecia que você conseguia ver nos olhos dele que era apenas uma criança.

 

 

Oh My Geum Bi

Sinopse: Geum Bi é uma espirituosa menina de 8 anos que sofre de Niemann-Pick tipo C (NPC), uma condição genética rara que faz com que seu corpo seja incapaz de metabolizar devidamente o colesterol e outros lipídios. A condição é, muitas vezes, referida como “Alzheimer infantil”, por causa da rápida deterioração mental e física que a acompanha. Seu pai solteiro, Hwi Cheol, é um vigarista, mas, ao mesmo tempo que começa a cuidar de Geum Bi, ele aprende sobre a preciosidade da vida. A mãe de Geum Bi, Jang Joo Yeong, não suporta ficar perto de Hwi Cheol e desaprova tudo o que ele faz. Quando Go Kang Hee, uma jardineira pessimista que gosta de passar seu tempo sozinha ou em busca de artefatos culturais roubados, encontra Hwi Cheol, ela se vê envolvida na vida dele.

 

Esse, sem dúvida, foi um dos doramas mais emocionantes que já vi. Não irei mentir, chorei muito com o rumo da história, pois, diferente da maioria dos transtornos dessa lista, esse distúrbio degrada o paciente mental e fisicamente de forma gradual. Ela é tão fofa que era de apertar o coração ver a doença ficando cada vez pior.

Além dos efeitos do distúrbio, é emocionante ver a perseverança da protagonista em manter o pai, que no começo demonstrou bastante relutância, por perto, e o quanto de luz essa menina traz para as pessoas ao redor, principalmente para o pai dela e para a Kang Hee. Na maioria das vezes, ela parecia ser mais madura que os adultos que ela se relaciona, o que trazia uma angústia enorme, pois ela já tinha muito com o que lidar.

 

E foi isso. Espero que tenham gostado dessas indicações e comentem aqui se vocês lembram de algum dorama que tem essa temática, ou o que acharam dos doramas citados aqui. Até a próxima, se kamisama quiser!