Bem vindos amantes das comédias românticas! Esse post é para vocês, pois aqui apresentamos 5 doramas japoneses, que além de nos apresentarem um pouco de sua cultura, são de aquecer o coração.

No post de hoje quero apresentá-los 5 doramas de comédia romântica japoneses tanto para aqueles que não conseguem lidar com a atuação caricata característica desse país, mas querem dar uma chance, quanto para aqueles apaixonados por romances simples e apaixonantes, além de cenas hilárias para aliviar as tensões.

Toda a primeira vez é estranha. Lembro-me de ver meu primeiro dorama ‘Boys Over Flowers’ e não conseguir entender o porquê da protagonista está atuando daquele jeito, mas após o decorrer dos episódios fui entendendo toda a questão cultural e me habituando a todo aquele novo mundo!

Nigeru Wa Haji da ga Yaku ni Tatsu (We Got Married As A Job)

Sinopse: Moriyama Mikuri de 25 é formada, mas não recebe muitas proposta de emprego. Ela consegue um emprego como temporária, mas logo é despedida. Mas, em seu ‘tempo de folga’, Mikuri se sente indesejada e deslocada. Então, ela começa a trabalhar de diarista na casa do solteiro de 30 anos Tsuzaki Hiramasa. Um dia, ela propõe um contrato de casamento para ele, pois seus pais estão pensando em se mudar, mas ela deseja ficar. Os dois se casam, mas será que sua vida de casamento-trabalho irá funcionar?

 

Esse dorama tem uma história mais madura que a maioria das comédias românticas asiáticas. Aqui temos uma protagonista feminina que ainda está descobrindo o que quer da vida falhando miseravelmente em todo trabalho que consegue (por mais que se esforce) e um protagonista masculino acomodado em sua rotina fechando-se cada vez mais para o mundo exterior. Ao longo do dorama vamos acompanhando como a convivência deles afeta sua vida a mudando, confundindo e melhorando. Enfim, o sonho de todo roteiro que inclui os protagonistas morando juntos.

Toda a temática sobre maturidade, futuro e casamento foram muito bem construídas nos fazendo pensar sobre o valor das relações ou se há ‘tarde demais’ para descobrir o que quer da vida.

A relação deles é um dos destaques que tenho a fazer sobre esse dorama. No começo eles se tratam tão profissionalmente, o que fez tudo ficar mais hilário, mas no decorrer toda essa formalidade vai virando cuidado e carinho recíprocos que apaixonam. Eles são muito estranhos mesmo progredindo no relacionamento, por isso, ouso dizer, que são um casal inesquecível!

Há também uma abordagem muito interessante do personagem masculino ser anos mais velhos que ela e não fazer parte do padrão de beleza que a maioria dos protagonista de comédias românticas possui.

Boku, Unmei no Hito Desu (I’m Your Destiny)

Sinopse: Makoto Masaki e Haruko Kogetsu tem 29 anos e são solteiros. Desde que eram crianças, estiveram em lugares ao mesmo tempo como em praias e santuários. Ainda que não tenham conhecimento disso. Um dia, um homem aparece na frente do Makoto Masaki e se apresenta como deus. Ele explica a Masaki sobre sua companheira de alma, sua “destinada” que trabalha na porta ao lado de onde ele trabalha e precisam gerar uma criança em um ano, pois ela salvará a humanidade.

 

Esse foi um dorama que me surpreendeu, pois na época estava vendo o anime ‘Sousei No Onmyouji’ que tem uma temática parecida (só que mais apocalíptica).

Aqui temos uma protagonista feminina madura que desistiu do amor e um protagonista masculino esperançoso e ingênuo. Os dois passaram por diversas e absurdas desilusões amorosas, mas  isso é logo explicado quando um homem que se autodeclara ‘deus’ diz que eles estão destinados a ficar juntos e gerar uma criança que salvará o mundo de uma catástrofe.

A trama é muito bem construída, principalmente quanto aos pequenos sinais do destino envolta dos dois. Era louco perceber que eles estavam perto um do outro diversas vezes e nem percebiam. O que me levou a pensar sobre se vale a pena desistir do amor. A protagonista feminina se mostrou alguém muito resistente a acreditar nas intenções de seu “destinado” e é compreensível levando em conta tudo que ela já passou, mas aos poucos você se apaixona pela atitude otimista do protagonista masculino que, mesmo após passar por situações como a dela, não desistiu e está de coração aberto pronto para tentar novamente.

Também temos o bromance hilário e companheiro do tal ‘deus’ e do protagonista masculino. Amei todos os momentos de aconselhamento e de bronca, além da atitude de todo poderoso do dito ser supremo. Para quem curte j-pop temos a ending cantada por esse maravilhoso bromance!

Yamato Nadeshiko Shichi Henge (Perfect Girl Evolution; The Wallflower)

Sinopse: Abençoado com boa aparência, Takano Kyohei, um estudante universitário, está sempre sofrendo com o comportamento irracional dos clientes que o desejam e o assédio sexual de seu gerente de loja. Por causa de seu temperamento quente, ele perde a cabeça nesta ocasião e é demitido de seu emprego em part-time. Então um dia, o proprietário glamouroso, Senhor Nakahara propõe: “Vou dar a você grátis uma mansão para morar se você transformar a minha sobrinha, Sunako, em uma dama!”. Kyohei e Toyama Yukinojo, Oda Takenaga e Morii Ranmaru aceitam e ficam entusiasmados, mas a pessoa que encontram é uma menina assustadora cujo cabelo cobre o rosto dela e que gosta de terror e vampiros. E então, começa sua tumultuada vida.

 

Esse foi um dos primeiros doramas japoneses que vi, pois é baseado em um mangá de mesmo título. A atuação é característica dos ‘live action’ nipônicos, o que pode parecer estranho para um iniciante. Contudo, mesmo com esse choque cultural, não senti muita dificuldade, pois tornou-se mais um adjetivo para a comédia.

A protagonista feminina é alguém que se fechou para o mundo exterior por meio de uma atitude obscura (principalmente para pessoas do sexo masculino), após uma forte desilusão amorosa. Para tentar reverter a situação sua tia a leva para uma mansão onde ela irá conviver com quatro meninos (F4 feelings). A tarefa deles é transformá-la em uma dama e a fazer retornar a sociedade. Mas ela não facilitará nenhum pouco para os rapazes, até os agredindo quando necessário.

Ao longo do dorama percebemos o quanto a protagonista feminina não é alguém assustadora e sem coração, mas sim alguém doce que se importa demais com quem ela gosta. Também temos a relação entre ela e seu par romântico que vai crescendo de ódio mortal para cuidado e carinho. O protagonista masculino é alguém que se fechou para o mundo de uma forma um pouco diferente de sua colega de casa. Ele usa de uma personalidade problemática, fria e dura para esconder o quanto é doce e se importa com outros, além de seus problemas familiares. Com características parecidas os dois vão se conhecendo e criando uma relação que os fará crescer.

Temos também uma abordagem interessante sobre o quanto perdemos de nós nos submetendo aos padrões de beleza para agradar outras pessoas.

O dorama também conta com diversas situações sem o menor sentido e sobrenaturais que torna tudo ainda mais cômico. Além de, como é comum em doramas japoneses, há um bromance forte e muitas cenas dos quatro garotos interagindo.

Para quem curte j-pop a opening tem uma melodia muito legal e viciante cantada pelos protagonistas masculinos!

5-ji Kara 9-ji Made (From 5 to 9)

Sinopse: Sakuraba Junko, uma professora de língua inglesa, não tem tido nenhum namorado mesmo antes de seu aniversário de 29 anos e sonha em trabalhar em Nova Iorque. Mas um dia, ela encontra um monge bonito no pior momento num funeral em um templo. Por causa de dormência nas pernas, ela agarra o altar e acaba esvaziando as cinzas do falecido nele enquanto ele está cantando o sutra. Envergonhada, Junko acha que eles provavelmente não irão se encontrar novamente. Contudo, dias depois ela é enganada pela família que a faz ir para uma sessão de encontros, onde encontra o monge que achou que nunca mais veria, Hoshikawa Takane.

 

Esse dorama também é baseado em um mangá, mas a atuação é mais realista e próxima a nossa realidade, talvez até pela trama que é mais madura.

A protagonista feminina é uma mulher forte que possui um sonho de morar em Nova Iorque e tem metas para alcança-lo. Já o protagonista masculino é um monge budista que se apaixona por ela em uma situação tragicamente cômica. O plano deles para o futuro é muito diferente, pois um monge tem responsabilidades em seu templo e ela sonha alto demais para isso, além das atitudes estranhamente tradicionais do protagonista para “cortejar” uma mulher do século XXI que só a afastam dele (e que nos trazem diversas cenas engraçadíssimas). Portanto, o romance deles já terá diversos empecilhos.

Mas ao longo do dorama nossa heroína vai se apaixonando pela gentileza e simplicidade do monge. O romance dos dois é muito fofo, pois eles aprendem muito um com outro, principalmente por parecerem vir de mundos totalmente diferentes.

Também conhecemos um pouco sobre a cultura budista e a responsabilidades de manter um templo. O protagonista masculino, apesar da pressão de sua família, ao longo do dorama vai quebrando seus próprios dogmas o que agrega um debate bem interessante ao dorama.

Kahogo no Kahoko (Overprotected Kahoko)

Sinopse: Kahoko Nemoto é uma ingênua estudante universitária de 21 anos de idade. Ela depende de sua mãe Izumi para tudo em sua vida. A mãe dela a acorda todos os dias, escolhe suas roupas, por isso Kahoko Nemoto nunca fez trabalhos domésticos ou conduziu um carro. Um dia, Kahoko Nemoto encontra um jovem que cresceu em um ambiente completamente oposto.

 

Esse dorama foi o meu queridinho de 2017! Me apaixonei por todos os personagens e senti muitas mensagens maravilhosas vindas dessa obra.

A protagonista feminina é uma garota em seus 20 anos que é superprotegida por seus pais e está procurando um emprego, mesmo sem ter a menor ideia do que quer para futuro ou para qualquer coisa se sua mãe não ditar. Já o protagonista masculino é um garoto autônomo e de espírito livre, que sonha em ser um grande artista. Os dois se aproximam quando ele fala várias verdades na cara dela que a faz pensar sobre a vida que está levando.

Amo a troca de conhecimentos que um traz para o outro, pois eles são muito diferentes e mesmo assim se dão muito bem. Ela é uma garota ingênua e de bom coração que precisa parar de depender tanto de seus pais para descobrir o que fazer com sua vida, já ele é alguém que acha que sabe tudo sobre o mundo e já não tem fé nas outras pessoas, preferindo viver só. Os dois tem conversas longas e reais durante todo o dorama, não se segurando quando precisavam apontar o que achavam do outro.

Mas o dorama não se prende somente aos dois e apresenta toda a família da garota superprotegida. Nos fazendo apaixonar por cada personagem de personalidades tão diferentes e ansiando saber sua história. A obra soube tratar dos problemas de cada ramificação dessa grande família sem perder o foco e nem dar atenção demais a uns e de menos a outros (algo louvável se tratando de doramas japoneses).

Amo como a menina que não sabia fazer nada sem as ordens da mãe vai crescendo ao conhecer esse garoto e o quanto isso afeta a relação dela com a família, aos poucos a tornando aquela que todos vão chamar quando estão com problemas.

Há também um debate muito interessante sobre a importância da família, a superproteção que acaba prejudicando a maturidade da criança/adulto e a importância das relações humanas para curar feridas em vez de ignorá-las.

Também temos alívios cômicos maravilhosos, principalmente com a narração pessimista do pai da protagonista!

 

Ufa! Acabou. Espero que gostem dessas indicações, pois todos esses dramas são muito especiais para mim (pois sou a louca das comédias românticas) e contem para mim aqui nos comentário como essas obras tocaram o kokoro de vocês! Até a próxima se kamisama desejar.